quarta-feira, 4 de maio de 2011

Dia 3 de Maio – Dia de Colombo

O acordar ficou marcado para as 7:30, seria comer e tratar das papeladas necessárias para o visto.

O pequeno-almoço, já me diziam, que é a refeição mais importante do dia mas aqui eles abusam pois comem mesmo muito, eu comi 2 torradas, 1 omolete, 1 peça de fruta e fiquei bem cheio, o padre comeu grão de bico com uma molhanga, 2 ovos cozidos, torradas, fruta e ainda repetiu… Eu nem tinha muito o hábito de tomar o pequeno-almoço, preferia sempre dormir mais 1 pouco antes de ir para as aulas/trabalhar, só no último ano é que comecei.

Depois do pequeno-almoço tomado esperámos pela senhora que me estava a ajudar com os papeis do visto, enquanto esperava tive a oportunidade de ver as capas de jornais daqui e não havia 1 que não falasse da morte do Bin Laden, nem quero imaginar as capas de jornais dos EUA.

Senhora chega, preencher os papeis que faltavam e fomos para os serviços de migração, ainda bem que a senhora dominava aquilo porque eu sozinho não chegava lá e ficaria horas e horas à espera, ela chegou, entrou num gabinete, falou com 1 senhor, ele explicou que só podia ter visto de 6 meses, deram-me até Julho e em Julho tenho que voltar e renovar até Outubro e nessa altura volto para Portugal. Eu até tinha pensado ficar até Novembro mas não dá, depois de 6 meses é visto de trabalho e isso não conseguia, não sei porquê, se for preciso logo se vê no futuro.

E

nquanto a senhora estava a tratar das minhas coisas o padre saiu-se com uma boa nova, vou começar a dar aulas sábado e em vez de 2 turmas em Trinco, serão 4 turmas e em vez de ficar 1 semana fico 10 dias, os meus fins-de-semana serão bastante preenchidos, serão 8 horas, 4 horas cada turma, benditas folgas, estou-vos já dizer!

Vou ter que reformular todo o calendário que tinha preparado, agora serão mais aulas, menos dias em Batti, mais dias em Trinco, o que interessa é trabalhar e ver como corre.

Tenho que vos dizer que depois de ter o carimbo no passaporte até Julho fiquei num misto de emoções, se por um lado estava contente por ficar, por outro fiquei com “medo” porque agora iria mesmo começar as aulas e não sei como vai correr… Eu já estava preparado para tudo, ficar, partir, era o que deus quisesse.

Depois do visto, padre e Jude tinham-me dito que tinham que comprar coisas para o novo edifício e que podia ficar em casa a descansar, eu como não me apetecia muito fui com eles, não sabia mesmo o que me esperava… Ficamos horas a escolher azulejos para as casas de banho, para o chão do novo salão… Eu só me imaginava a fazer isso daqui a alguns anos e se tivesse uma casa minha, não agora nem no Sri Lanka! Depois de muitas horas a discutir preços, a ver o que queriam mesmo, lá saímos da loja e tivemos que ir recolher as coisas em vários pontos da cidade, nós tínhamos ido à sede mas os produtos não estavam lá…

Um dos cartazes de Colombo

Almoço ficou para as 15h, depois do almoço fomos tratar do transporte das coisas para Batticaloa, não cabia tudo na carrinha e aí gostei: estávamos no meio da zona comercial de Colombo, parecia que estava em Macau, na China, em Marrocos, no mercado de Chipamanine, mas muito maior, ruas atrás de ruas, seja com roupa, comida, electrodomésticos, eles diziam para ter cuidado mas como eu gosto de andar no meio da multidão!

Vi por lá 2 italianos com 1 filho no carrinho, imaginei-me que 1 dia seria eu a fazer o mesmo…

Lá fizemos o nosso negócio com o transporte, fomos ver de candeeiros, de luzes e às 17:30 estávamos na Caritas para voltar de novo para Batticaloa.

Quase não vi nada de Colombo e fiquei com pena, prometi a mim mesmo que quando voltasse em Julho iria passar lá o fim de semana e aproveitar para conhecer 1 pouco mais!

Demorou 9:30 a nossa viagem, fizemos paragens para comer, para comprar fruta, para comprar legumes, descansar, beber um chá, ainda ia dormindo de vez em quando mas o calor e os solavancos não dava para muito.


Jantar que não me caiu muito bem, excesso de picante!

A escolher ananases!

E foram assim os meus 2 dias fora de Batti. Agora Sábado espera-me outra viagem, ficarei 10 dias em Trinco para começar as minhas aulas.

5 comentários:

FireHead disse...

Isto é que é uma grande aventura! Aproveita e saboreia todos os momentos desta experiência, amigo.

Lita e companhia disse...

Gosto e gosto muito de ler essas aventuras....agora ficasses ai ou voltasses para ca tinhas sempre o meu apoio....porque nos somos uns pelos outros...aproveita cada minuto pk o amanha logo se vera.....amo te mano....beijinhos e boa sorte para as aulas....ve se apareces no skipe ate pk a minha camara agora e toda jeitossa

Miguel Jarimba disse...

Firehead: Isto de morar numa ponta da ilha e a capital ser do outro lado tem muito que se diga, podem ser só 300 e tal km mas só há 1 estrada daí demorar tantas horas! Espero que as aventuras continuem para vos ir contando, abraço

Lita: Mana temos mesmo que combinar alguma coisa, eu amanhã vou para a outra cidade e só volto daqui a 10 dias e não sei se lá tenho internet. beijos grandes

Catarina disse...

Foste passear à cidade... Sortudo, eheheh...

Estava a apreciar a mensagem da tua mana (de acordo com o Martini Bianco, sou coscuvilheira...), e lembrei-me da minha relação com o meu mano, nós também vivemos o amor de irmão ao ponto de também dizermos "amo-te mano" e "amo-te mana"... Vejo tanta má relação entre irmãos, que quando aprecio a relação como meu irmão, fico feliz por sermos diferentes :) Ter um irmão que é amigo é uma benção, e espero que seja sempre assim!

M.J. disse...

Catarina: Passear como quem diz, acho que conheço muito pouco de Colombo, sempre que fui lá foi para tratar do visto, espero conhecer melhor 1 dia antes de voltar para Portugal!
Eu e meus irmãos temos grande relação, uma união que já não se vê, alguns acontecimentos na vida uniram-nos ainda mais! eu posso dizer que sou 1 sortudo, bjs