sábado, 31 de dezembro de 2011

Só mesmo para desejar...

Uma grande entrada em 2012, que seja um ano de encontros e reencontros, carregado de coisas boas, muita saúde e já agora dinheiro =)

Peço desculpa por andar tão ausente, isto do regressar à civilização faz-me ter menos tempo para estas coisas mas já tenho saudades de vos ler, de vez em quando ainda vou espreitando =)

Boas entradas

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O jantar da irmandade

Olá! Como estão?

Ontem finalmente fizemos o jantar da irmandade, mesmo a Rita que estava longe esteve sempre por perto, estiveste connosco =)

O que é esta irmandade? Alguém (Quem foi mesmo?) apelidou-nos de irmandade Siddartha do Kung Fu pois vamos buscar ensinamentos ao livro Siddartha e ao grande mestre Kung Fu Panda =)

Este pequeno grupo surgiu da caminhada que fizeram para Santiago enquanto eu estava no Sri Lanka, eu falei neles na altura. Fazem parte o Carlos, a Raquel, a Rita, o Rui e a Sofia, todos nós temos em comum a EA mas aos longos dos tempos vemos que existe algo mais!

Ontem o encontro foi cá em casa, cada 1 ficou com 1 tarefa, a mim calhou-me fazer o jantar, não só lá grande craque na cozinha, devia saber muito mais tendo na família tão bons cozinheiros, acho que ainda estou a tempo de aprender, tenho tempo para isso =)

Depois de muita conversa, muitas partilhas acerca do mundo do voluntariado, as posições que se devem tomar, o testemunho que se deve passar passamos para aquilo que nos é especial, a oração.

Nos tempos que correm muitos poucos jovens se juntam para ter estes momentos mas nós sentimos que estando em oração estamos em partilha com as outras pessoas que nos são especiais e que por 1 ou outro motivo estão longe de nós, como é o caso da mana Rita.

Devem pensar que sou um grande beatão, tenho ainda muitas dúvidas, estou sempre em constante aprendizagem e estas orações são especiais porque de nós os 6, 4 são praticantes e outros 2 não são mas conseguimos encontrar o nosso espaço, a nossa oração é feita sempre por nós com temas escolhidos ao pormenor e sempre com espaço para falarmos sobre isso, acabamos sempre por partilhar muito. Ainda há pouco a mandar um mail à Sofia lhe dizia que podemos falar todos os dias mas há sempre coisas para partilhar e os textos ajudam.

Ontem foi o mano Rui que preparou e que bem correu, ainda dizia que não estava inspirado!

Vou vos deixar aqui um "pequeno" texto que já tinha sido partilhado antes e que ontem foi usado, podem acompanhar com o video:


"Agora Nunca é Tarde"

Cada um de nós nasce com um artista lá dentro. Um poeta, um escultor, um aventureiro... um cientista, um pintor, um arqueólogo, um estilista, um astronauta, um cantor, um marinheiro. E o sonho e a distância, e o tempo e a saudade deram-nos vida, amor, problemas, mentiras e verdade; e damos por nós mesmos descobrindo que agora, se calhar, já é um pouco tarde. E nas memórias velhas e secretas da menina morou sempre aquele sonho de um dia ser... bailarina, actriz, modelo, princesa, muito rica; eu sei lá! Mas os anos correram num assombro, e a vida foi injusta em qualquer jeito para a chama indelével que ainda arde. E os filhos são bonitos no seu peito. Pois é... mas agora... agora já é tarde. E nos papéis antigos que rasgamos há sempre meia dúzia que guardamos. São os planos da conquista do Pólo Norte que fizemos aos sete anos, escondidos no sótão uma tarde, e estiveram perdidos trinta anos. E agora, se calhar, maldita sorte! Por desnorte, acaso ou esquecimento, alguém já descobriu o Pólo Norte e agora... agora pronto, agora já é tarde. Há sempre nas gavetas escritores secretos, cientistas e doutores, desenhos e projectos construtores feitos em meninos de tudo o que sonhámos fazer quando fosse a nossa vez! Cientistas em busca de Plutão, arqueólogos no Egipto, viajantes sempre sem destino, futebolistas de sucesso no Inter de Milão. E o curso da vida foi traidor, e o curso da vida foi cobarde, e o ciclo do tempo completou-se, e agora... e agora pronto, paciência, agora já é tarde... Agora é tarde. Emprego, casa, filhos muito queridos, algum sonhar ainda com amigos, às vezes sair, beber uns copos p’ra esquecer ou p’ra lembrar, e fazer ainda um certo alarde, talvez para esconder ou para abafar, como é já tão demasiado e tão impiedosamente tarde... Não... mas não, não;
nunca é tarde para sonhar! Amanhã partimos todos para Istambul, Vladivostock, Alasca, Oslo, Dakar!
Vamos à selva a Timor abraçar aquela gente e às montras de Amsterdam (que eu afinal também não sou diferente). Chegando a Tóquio são horas de jantar, depois temos de voltar a Bombaim, passando por Macau e Calcutá, que eu encontro Portugal em todo o lado e mesmo fugindo nunca saio de mim. E se esse marinheiro, galã, aventureiro, esse, que já não há, pois que me saiba cumprir com coerência, nos limites decentes da demência, nos limites dementes da decência; e cumpramo-nos todos, já agora, até ao fim, no que fazemos, na diferença do que formos e dissermos! E perguntando, criando rebeldias, conferindo aquilo que acreditamos e que ainda formos capazes de sonhar! E se aquilo, aquilo que nos dão todos os dias não for coisa que se cheire ou nos deslumbre, que pelo menos nunca abdiquemos de pensar com direito à ironia, ao sonho, ao ser diferente. E será talvez uma forma inteligente de, afinal, nunca... nunca, nunca ser tarde demais para viver, nunca ser tarde demais para perceber, nunca ser tarde demais para exigir, nunca ser tarde demais para ACORDAR. "

e a reflexão pedida era:
Esta na hora de encontrarmos o artista, o poeta, o escultor ou a bailarina que temos cá dentro. O que é feito dos nossos sonhos, daquilo que mais gostamos de fazer e em nos sentimos melhores, mais úteis para os outros e para nós próprios?

Foi um grande serão, com direito a dinâmica e tudo que 1 dia irei partilhar para fazerem também com os vosso amigos, grande Miss India!

E falando 1 pouco mais de mim: estou bem, já comecei a minha vida de enviar CV, em 50 já obtive 2 Nãos e 48 sem resposta, ainda tenho esperança! 
E falando de sonhos, eu nem sonho com muito, apenas algum dinheiro para pagar casa, comida e que tenha tempo para estar nas minhas coisas chega, é pedir muito =)? 

beijos e abraços a todos

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

BALANÇO DO 1º MÊS DE REGRESSO A PORTUGAL

Olá a todos!
Como estão? Espero que bem.
Tenho andado um pouco ausente por estas bandas, tenho acompanhado os vossos blogs, comentado muito pouco mas o regresso tem sido “vacani vacani” (devagar devagar), tenho aproveitado para estar mais com as pessoas e comigo.
Já está quase a fazer um mês que cheguei a Portugal, muita coisa mudou ou talvez não!
As saudades do Sri Lanka já são algumas, tenho recebido algumas sms de lá, vou estando a par das coisas que se vão passando naquela ilha que agora também considero como minha, sei que irei voltar 1 dia, quando? Ainda não sei mas voltarei! Há pessoas interessadas para acompanhar?
Tive muita sorte no regresso, um dos meus grandes “medos” seria a casa mas o mano C. e o L. arranjaram uma casa toda catita, estamos os 3 bem perto do centro de Lisboa, com 1 das melhores vistas para o Aqueduto e os subúrbios de Lisboa, há noite parecem estrelas a brilhar!
Já tive a minha reunião de avaliação do projecto, foi adiado várias vezes mas no final do mês lá aconteceu, correu bem, o avaliação foi boa, não tive tanto feedback como gostaria, tive que fazer um pouco de advogado do diabo em relação à fundação para quem trabalhava, tive que apontar algumas falhas mas foi para o bem deles, só assim é que serão ainda melhores do que já são!
Ficou o convite para futuras cooperações, disseram para concorrer quando houvesse vaga para coordenador de país, vamos ver como estará a minha vida nessa altura…
A procura de trabalho está a ser também lenta, tenho visto os sites de procura de trabalho mas não tenho ficado muito contente porque trabalhos são poucos, ou melhor, ainda há alguns mas call center não é uma coisa que me assiste, ainda!
Já concorri para 2 trabalhos, um para ca e outro para fora, não estava nos meus planos ir para fora mas como é para 1 país especial tentei, não custa nada ver, logo decido se for ou não chamado!
Tenho estado com alguns amigos, ainda não todos porque prefiro estar com tempo com eles, não gosto de cafezinhos à pressa, gosto de ter tempo para falar com as pessoas. Tenho ainda alguns cafés para tomar, alguns daqui da blogosfera que penso que será nesta ou noutra semana!
Sri Lanka fez-me sentir bem e gostar de estar sozinho e tenho estado também, sinto falta do “silêncio” por isso muitas vezes dou por mim a andar pela cidade de Lisboa, eu gosto desta cidade, da confusão, da mistura, das pessoas, dos cheiros, dos monumentos, daqueles cantos que ninguém conhece.
Claro que já matei saudades do Bairro Alto, há pessoas que não gostam nada daquilo, eu gosto, 1 das ocasiões foi com o meu mano C. que já não estava há muito tempo, saudades tuas! Foi bom termos estado a tarde/noite sempre a falar e haver sempre conversa, ficou a promessa de estarmos mais vezes juntos!
Nos 2 últimos fins de semana tive fora da capital, no primeiro fui até Alcobaça, fui até à terra dos meus colegas de casa, nunca tinha lá estado, o tempo não ajudou muito mas gostei do que vi, até deu para fazer 1 corridas pela praia da Nazaré na manhã de domingo. Aqui já conhecia mas já não lá ia desde 1994…
Este fim de semana fui até à aldeia de 1 irmão perto da Serra da Estrela, foi um encontro de primos e eu colei-me, literalmente =) Gosto bastante de estar lá, já lá tinha estado, foi bom voltar… Aquela terra tem sem dúvida a melhor gerupiga que já bebi e se alguém me disser o contrário que me dê uma garrafa para experimentar e logo digo se é melhor ou não! Deu para mostrar a quem não conhecia um pouco do que rodeia, como a aldeia do Piodão, a Lagoa comprida, Sabugueiro, etc etc. Tenho que dar destaque ao restaurante “Museu do Pão”, fomos lá almoçar e sai de lá bem inchado, não é lá muito barato (17,5 euros sem bebidas) mas o buffet de entradas, os 2 pratos, o buffet de sobremesas chega e sobra!
E esta semana vou dar 2 testemunhos sobre  a vida de voluntariado, de missão, 1 na minha faculdade para os alunos de mestrado a convite de professora e na 6ª vou até Oeiras dar a 2 turmas do 9º ano. Gosto de falar sobre isto porque acredito que ao falar sobre esta vida talvez consiga atingir alguém com o bichinho e que o nº de voluntários aumente… não custa nada tentar não é?
Aproveito para lançar 1 desafio: qualquer dia temos que fazer 1 jantar de bloggers também pelo Sul, sei que tem havido 1 quantos pelo norte mas aqui pelo sul não vejo nada por isso lanço a ideia, se alguém quiser avançar conte comigo para o jantar, comer e beber estou sempre pronto =)
Vou tentar estar mais por aqui, tentar comunicar mais vezes!
Fiquem bem,
Beijos e abraços

sábado, 8 de outubro de 2011

De regresso a Portugal

Olá amigos!


Já estou em Portugal, cheguei na 6ª de madrugada, o avião em Londres atrasou-se o que até foi bom porque a viagem de Doha pra lá estava atrasada meia hora e não tinha assim tanto tempo entre 1 viagem e outra!

Estar no aeroporto de Londres deu para matar algumas saudades...

O regresso a Portugal  não começou da melhor maneira, 1 das malas não chegou a Portugal, veio com 1 dia de atraso, fiquei assim para o chateado ainda por cima era a mala das lembranças e a mala era do meu boss, dia a seguir, ontem, ligaram-me e veio, não veio foi inteira porque partiram 1 das pegas mas isso é o menos, o conteúdo é que valia, compro 1 mala nova ao boss para não haver chatices =)

Estou ainda com o ritmo do Sri Lanka, tenho acordado sempre cedo, dá para aproveitar melhor o dia, já fui ver da carta de condução, finalmente vou tirar a carta =) Já estive inscrito ha alguns anos, fiz as aulas todas de código mas deixei passar os 2 anos... mas agora é que é =)

Já estou a morar na minha nova casa, estou a dividir casa com o Carlos e o Luis, casa muito catita, depois partilho!

Também já matei algumas saudades de 1 amigos, ontem até fui dar 1 cheirinho até ao bairro, como eu gosto do Verão =)

Hoje vim até a minha "cidade preferida" (irónico), almocei com 1 dos meus "irmão" e agora estou em casa da minha irmã, foi bom ver os meus sobrinhos, irmã e cunhado!

Ainda não tenho net em casa mas acho que a partir de 2º já tenho por isso vou actualizar mais e escrever sobre os ultimos dias no Sri Lanka!

Hoje é versão rápida, tenho que ir voltar a Lisboa!

beijos e abraços

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O adeus - parte 2

Sem muito tempo para escrever apenas para dizer que amanhã estou de saída desta cidade onde foi também minha durante os últimos 6 meses, acabei de fazer 1 jantar de despedidas com algumas pessoas que foram importantes durante a minha estadia por cá, tivemos 1 pequeno "stress" porque a Boss apareceu e não gostou de ver o guarda a jantar connosco... amanhã sei que estará com grande cara, que já se deve ter chibado toda ao  big boss mas estou-me literalmente a c*g*r, afinal é o meu último dia cá e o guarda em questão foi sem dúvida 1 das pessoas mais importantes para mim, noites e noites foi a minha companhia, o meu grande amigo e não fazia sentido, só porque estava a trabalhar que não jantasse comigo, se o jantar fosse fora era 1 cena mas foi cá em casa...

O dia de ontem correu bem, não houve lágrimas da minha parte, quando comecei a senti-las a chegar tive bom remédio, parei com o discurso e disse obrigado =)

Amanhã vou conhecer 1 terra antes de ir para Colombo, vou à terra do Chá, onde é plantado varios conhecidos chãs como por exemplo o usado na Lipton Ice Tea! Quarta sigo para Colombo e depois, a próxima mensagem já será em Portugal...

Obrigado a todos por terem acompanhado esta aventura, darei notícias, irei meter depois fotos destes últimos dias por cá!

beijos e abraços

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

O adeus - parte 1

Pois bem,a brincar a brincar estou quase a fechar este ciclo que foi o Sri Lanka, os 6 meses estão quase a terminar e eu estou de regresso a Portugal...

Se tenho vontade? É um misto de sentimentos... Por um lado quero por outro lado nem por isso...

O voltar trará  novas sensações, um recomeçar de vida, o voltar à rotina, os transportes, os amigos, a família...

O partir é deixar esta casa que foi minha durante 6 meses, o ritmo de trabalho, o estar sozinho, os amigos, os alunos...

Parto com a sensação de dever cumprido, penso que fiz o melhor que pude com as condições que tinha, quando cá cheguei esperava mais alunos, mais turmas mas como é uma cena nova houve muitas pessoas com medo e preferiram ver como corria e se houver um segundo curso aí sim, fazem...

Acabaram 50 alunos com sucesso, alguns deles com notas acima de 80%, pessoas com quem hoje já consigo trocar 1 sms em português com algumas palavras inglesas pelo meio mas estou feliz com o resultado!

Se isto é para se manter? Não depende de mim, estou a trabalhar em cooperação entre 1 fundação Portuguesa e uma Fundaçãodo Sri Lanka, depende deles...

Muitas pessoas questionam se este projecto tem pernas para andar, o porquê de estar a ensinar português, o porquê de querer manter as nossas raízes por cá, antes de tudo isto foi um pedido da fundação de cá, eles querem preservar o português, sentem orgulho por serem "portugueses" e o falar a língua, o saber os actuais costumes, músicas e danças para eles é 1 alegria.

São poucos os falantes do criolo, tentei sempre fazer a ligação entre o criolo e o português, muitas palavras são iguais com pequenas diferenças, consegui terminar a tempo dicionário que servirá de base para um futuro trabalho, foram recolhidas perto de 1500 palavras, pode ser coisa pouca em comparação com os nossos dicionários mas para aqui já ajudará, conseguimos que os mais velhos se recordassem das palavras...

Fica o desejo de voltar, sei que vou voltar... Tenho 1 desejo de 1 dia levar a minha família aos sítios que fui feliz e sem dúvida que o Sri Lanka foi 1 destes locais!

Tenho que agradecer a muita gente, não só às pessoas de cá mas também a vocês que me foram acompanhando durante estes meses, ao comentarem, ao partilharem-se ideias também aprendi e cresci com o vosso testemunho, nestes 6 meses também conheci a "blogosfera", conheci coisas que não conhecia, obrigado também a vocês!

Domingo é dia de festa, é dia de certificados e de um grande jantar... Vamos ver se não estrago a minha reputação e não largo uma lágrimazinha no final =)

Depois do regresso a Portugal não sei o que será deste espaço, o "Diário Envolvente" continuará mas ainda não sei em que moldes, vamos ver!

Boa noite a todos!

E ficam algumas fotos do exame final:

Exame em Trincomalee com Padre a vigiar, nunca vi ninguém a controlar tão em cima 1 exame =)

Alunos à espera do exame oral

Exame oral em Trincomalee

Eu bem metia a mão à frente para os outros não verem mas ela não percebia  que estava a ajudar e a dizer-lhe as coisas =)

Oral em Batticaloa- ao meu lado o meu grande amigo tradutor, Papa Titus!

Os observadores, eram quase mais que os alunos =)

Exame escrito em Batticalo

domingo, 25 de setembro de 2011

Polonnaruwa e Dambulla

Tive uns dias fora, fui até Trincomalee despedir-me dos alunos, fazer o exame final com alunos seleccionados e aproveitei também para visitar estas 2 cidades, passei por elas sempre que ia para lá mas só desta vez é que parei para as conhecer e valeu a pena, ficam as fotos para verem!

Já tinha falado dos preços que eles praticam com os estrangeiros, aqui continua igual, em Polonnaruwa paguei 2800 rupias, os locais 50 e em Dambulla paguei 1200 rupias e os locais não pagam... Eu bem tentei dizer já era cidadão do Sri Lanka, disse algumas palavras em Tamil mas mesmo assim não pegou, acho que tenho que me dedicar a apanhar sol e ficar um pouco mais escuro =)


A escrita no Sri Lanka Antigo, nem é Tamil, nem Cingalês

Deus Shiva (obrigado pelo reparo Firehead!)

Ruinas do Palácio Real de Polonnaruwa

Elefantes e Cavalos no chão dos templos

Um dos templos de Polonnaruwa 

O templo que aparece mais nas fotos de Polonnaruwa

Como se tratavam os doentes na altura, deitavam-se nessas coisas e metiam para lá ervas

Um dos templos em ruínas, lá atrás vê-se a estátua de 1 buda

O Buda a descansar, eles fizeram isso numa pedra gigante

A retratar os monges com as oferendas ao Buda
A entrada para o museu de Dambulla

O templo de Dambulla, são grutas!

O interior de 1 das grutas

Não faltam budas, os tectos estão todos pintados

Este senhor foi a minha companhia na subida, ainda era um bocado puxado, perguntei se ia  lá muitas vezes e ele respondeu-me que ia todos os dias... Fiquei fã do senhor!

A vista do Buda

O maior buda do Mundo

Dambulla Golden Temple 

E aqui fica a reportagem destas 2 cidades, há mais fotos mas estas chegam!

Boa semana para todos

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Uma das cartas que mais gosto

Conheci esta carta em Março quando tive em Portugal, deu-me a conhecer o mano R. , depois trouxe o livro comigo e tem sido uma presença constante, recentemente a mana R. decidiu partilhar no caderno da EA e hoje é a minha vez de partilhar com vocês.

"… a cela é o lugar ideal para nos conhecermos a nós próprios, para aprofundarmos de forma realista e regular os processos da nossa mente e dos nossos sentimentos. 

Ao avaliarmos a nossa evolução enquanto indivíduos tendemos a concentrar-nos em factores externos como a posição social, o poder de influência, e a popularidade, a riqueza e o nível de instrução. Estes são, de facto, factores importantes para a avaliação do sucesso individual no que se refere a aspectos materiais e é perfeitamente compreensível que muitas pessoas se empenhem em alcançá-los. 

Existem no entanto factores internos que podem ser ainda mais decisivos na avaliação de uma pessoa enquanto ser humano: a honestidade, a sinceridade, a simplicidade, a humildade, a generosidade, a ausência de vaidade, a disponibilidade para ajudar os outros – qualidades ao alcance de todas as almas – constituem os alicerces da vida espiritual de cada um de nós. 

A evolução em matérias desta natureza é impensável sem uma introspecção séria, sem nos conhecermos a nós próprios, sem conhecermos as nossas fraquezas e os nossos erros. 

No mínimo, se não nos der mais nada, a cela proporciona-nos a oportunidade de analisarmos todos os dias a nossa conduta na sua globalidade, de ultrapassarmos o que de mau houver em nós e desenvolvermos o que possamos ter de bom. 

A meditação frequente, nem que seja durante 15 minutos por dia antes de adormecer, pode ser muito proveitosa a este respeito. 

No início pode parecer-nos difícil identificar os aspectos negativos da nossa vida, mas com perseverança este exercício pode revelar-se altamente compensador. 

Não devemos esquecer que um santo é um pecador que não cessa de se esforçar. 

Uma pessoa pode ser um vilão durante três quartos da sua vida e ser canonizado por viver uma vida santa nos dias que lhe restarem. 

Na vida real lidamos, não com deuses, mas com seres humanos comuns como nós: homens e mulheres cheios de contradições, que são estáveis e inconstantes, fortes e fracos, célebres e infames, pessoas em cuja corrente sanguínea os vermes lutam diariamente contra potenciais pesticidas. 

Os aspectos em que uma pessoa se concentra a julgar outra, depende do carácter desse juiz particular.

O desconfiado será sempre atormentado pela suspeição, o crédulo estará sempre pronto para acreditar em tudo o que lhe dizem, enquanto que o vingativo irá sempre usar espadas afiadas em vez de penas. Mas o realista, embora chocado e desapontado com as falhas daqueles que adora, olhará o comportamento humano de todas as perspectivas e objectivamente irá se concentrar nas qualidades da pessoa que são edificantes, que levantam o seu espírito e aumentam o seu entusiasmo em viver”

E ficam algumas perguntas que ela partilha para pensarem:

Têm conseguido fazer uma introspecção verdadeira e sincera? E essa introspecção leva-me a uma esforço sincero no sentido da santidade? Vocês conhecem-se? Sabem do que é que são feitos e onde têm as vossas imperfeições? Como vêm essas imperfeições nos outros?

boa terça-feira!

domingo, 18 de setembro de 2011

"O escultor da Vida"

Este texto foi partilhado há 1 anos atrás num dos campos de trabalho da EA, acompanhou o mano C. na sua missão em Moçambique e quando vim para cá ele enviou-me isto, para ler todos os dias ou quando fosse preciso e hoje decidi também partilhar com vocês:

“Hoje levantei-me cedo a pensar no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite.
É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está a chover ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou sentir-me encorajado para gerir as minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso sentir-me grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com as tarefas da casa ou agradecer a Deus por ter um tecto para morar.
Posso lamentar as decepções com os amigos ou entusiasmar-me com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está à minha frente, à espera para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que lhe pode dar forma. Tudo depende só de mim.”

Dizem que foi Charles Chaplin que escreveu.

E tal como o mano C. pediu: “O dia está à minha frente, à espera para ser o que eu quiser” - Vamos dar-lhe a forma que queremos…

boa semana para todos

Pensamento de hoje

Hoje dei por mim a pensar que daqui a 2 semanas tenho a festa final com os alunos aqui em Batticaloa, vai ser uma festa em grande, vão vir os alunos dos 3 distritos que dou aulas, vai ter direito a música e a dança, é desta que vou aprender a dançar com eles!

Até lá ainda tenho uma semana de aulas, a última na comunidade de Akkaraipaittu e no próximo fim de semana o exame final...

Fiz ontem o exame, 10 perguntas, coisa pouca, tudo retirado dos outros 3 testes, coisas que eles sabem mas vamos ver... E depois têm exame oral porque é muito bonito saberem escrever mas se não souberem falar está tudo estragado!

Eles estão um pouco com medo, eu bem tento tranquilizá-los, já lhes disse que não estou aqui para ser mau e que ajudarei no que for possível mas que também tinham que ver o meu lado porque tenho que fazer escolhas e não vai ser nada fácil para mim...

A falar em escolhas, aqui os meus "bosses" vieram-me com 1 conversa nada nada boa, virou-se para mim a chefe e disse que tinha falado com o big boss e que seria muito bom se eu escolhesse 1 aluno da turma da comunidade porque se não escolher eles não vão mais participar nas actividades da fundação... Eu disse que compreendia o lado deles e tal mas que as coisas não são assim, não é a 15 dias que me vão dizer para trocar tudo e ainda por cima disse aos alunos desde o 1º dia que os 4 melhores alunos seriam escolhidos com base nos exames e na minha apreciação, até podiam ser todos da mesma turma e todos do mesmo sexo que não interessa... 

Expliquei muito bem explicadinho mas mesmo assim disseram para dar um jeitinho à mesma, passei-me, perguntei como é que podia dar um jeitinho se os exames são iguais para todos, se os exames são corrigidos e dados aos alunos, eu ainda perguntei se queriam que eu começasse a tirar pontos a 1 para dar a outros só para ver a reacção e ela riu-se....

Sei que há favorecimentos em tudo e mais alguma coisa, seja aqui, em Portugal ou no Japão, o factor cunha sempre existiu mas eu sempre fui contra a isso por isso não vou fazer uma coisa que sempre lutei contra, vão ter que se aguentar à bomboca que eu não vou fazer isso, sei que poderei criar "guerras" ou inimizades com eles mas entre perder 1 amizade e ser correcto com os meus valores, sem dúvida a 2º opção.

Estou para ver esta semana e a semana a seguir aos testes finais, vou ter 1 semana para ver os exames, para pensar muito muito bem nas coisas, normalmente corrijo num dia mas aqui não vai ser só os exames, tenho que olhar para as presenças e depois tenho a minha % e aí é que poderá mudar tudo, é que as diferenças nos testes, nos 8 primeiros é de 6 pontos, alguns estão a 0,2 de distância...

Na EA também tinha que fazer escolhas mas não havia exames, os factores de avaliação eram outros, se era mais fácil ou não? Não consigo dizer, aqui é 1 viagem para Portugal, lá era uma missão para Moçambique... Aqui estou sozinho, lá éramos 5 a decidir...

De resto está tudo bem, ando a ver o mercado imobiliário lisboeta, ainda pensei no inicio ficar num T0-t1 mas os preços são altíssimos e como tal vou mesmo dividir casa que era uma ideia que já tinha quando vim para cá, já tinha desafiado os manos Costa para dividirmos casa, eles aceitaram, agora é tentar arranjar 1 casa catita, barata e de preferência mobilada! Nós nem estamos a ser muito selectivos, desde que seja em Lisboa até Cruz Quebrada - Dafundo está bom para nós, só 1 é que estuda, eu e C. ainda não sabemos como será do nosso futuro, ainda vamos abrir uma empresa, entregas ao domicilio de cigarros, mcdonalds, preservativos, coisas que ninguém se lembra mas nós lembramo-nos =) 

Um bom resto de fim de semana para todos!

ps - Obrigado pelo post, fiquei muito contente, obrigado mesmo!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Selo Esse Blog é um sonho!

Eu como ando nestas lides há pouco tempo só agora é que percebi que existem para aí uns selos e uns inquéritos para a malta.

No inicio deste mês recebi o meu primeiro selo oferecido gentilmente pela A Janela da Joana, aqui está a prova!



Muito obrigado, é bom saber que em pouco tempo já vou tendo alguns seguidores, só espero é que vão ficando por cá quando esta aventura acabar =)

O próximo capítulo será "o regresso", tem muito que se diga aviso já, é que voltar a viver em Portugal passado quase um ano não será assim tão fácil, muita coisa mudou neste ano, até temos um primeiro ministro diferente e tudo!

Este selo tem uma regra que é oferecer a 10 pessoas mas eu como não sei quem gosta ou não gosta disto fiquem à vontade, qualquer leitor do blog merece o selo porque conheço os vossos blogs e se os sigo é porque vale a pena!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

"Cartas escritas à mão"

Hoje decidi escrever umas linhas, tenho estado um pouco ausente da minha escrita, ando à volta dos vários projectos mas hoje quando acordei tinha um mail de uma pessoa especial que me lembrou deste tema, ainda ontem comentei noutro blog sobre cartas, neste caso não são cartas de amor mas são cartas escritas à mão.

Quem não tem saudades de pegar numa folha de papel e começar a escrever a escrever e ter alguém para enviar? E quem não se lembra daquelas cartas que enviávamos quando éramos mais novos seja para a pessoa amada ou simplesmente para os amigos que não conhecíamos mas que éramos amigos pelas cartas? 

Hoje em dia tudo isso desapareceu, acho que posso contar pelos dedos das mãos, de 1, as pessoas que eu conheço que ainda trocam correspondência via CTT.

E o escrever uma carta não é só escrever, temos que ter uma letra minimamente apresentável, no papel não há o corrector automático do word, claro que de vez em quando dá-se umas gralhas mas quem não as dá? Para mim carta que é carta para ser enviada pelos CTT tem que ser escrita à mão, por computador perde-se a piada toda... Mas tenho que admitir que já fiz isso, apenas 1 vez, e não gostei porque do outro lado começou a escrever também em computador e perdeu-se a piada mas já avisei que quero que volte ao velho hábito =)

Até vir para cá apenas escrevia com 1 pessoa, o meu padrinho de baptismo, é um senhor de 71 anos que já não entrou nas modernices da internet mas já aprendeu a escrever no computador. Tento estar 1 vez por ano com ele, ele mora em Trás-os-Montes e a viagem para lá de autocarro são 7/8 horas, muitas vezes só de pensar nisso desisto mas tento sempre fazer um esforço, tenho sorte que das últimas vezes ele veio a Lisboa e tivemos juntos.

Escrevo-lhe desde 1995, acredito que ele tenha tudo guardado com ele, um dia vou-lhe pedir para ver as cartas todas... Quando estou lá na aldeia perco horas e horas na biblioteca dele, ele colecciona livros, revistas e como não há nada para fazer na aldeia, existem para aí 30 pessoas na aldeia no máximo e ele muitas vezes não está em casa porque é padre e tem que ir celebrar a missa às outras aldeias, uns dias acompanho-o mas há dias que fico em casa e vejo aquilo tudo. Tenho lá o meu quarto, acho que o sonho dele era eu ser padre, ele ainda me fala disso apesar de ir sabendo das minhas relações mas já lhe disse que não estou para aí virado porque tenho alguns sonhos que são incompatíveis com a vida de padre.

Uma coisa que é "curioso" sempre que lhe digo que namoro, passado uns meses esses namoros acabam... Nos últimos até deixei ter mesmo a certeza que era aquilo que queria para lhe contar, contei-lhe e puff... será que ele tem bons contactos com o big boss lá de cima =)?

Nas ultimas cartas que trocamos chateamo-nos, ele por vezes não compreende este estilo de vida que levo, diz que não tenho objectivos, que o ajudar é muito bonito mas que não dá dinheiro e que devo começar a pensar no meu futuro porque os anos passam, os trabalhos são cada vez mais dificilmente e se não aproveitarmos  as oportunidades quando olharmos para trás será tarde, ele até pode ter razão no que diz e tem, para ser sincero, mas foi esta vida que escolhi, não me arrependo, sei que se tivesse a trabalhar na área que estudei estaria melhor mas o dinheiro para mim não é tudo, prefiro ser feliz no que faço mesmo a receber pouco... 

Este tema já me levou a ter várias "zangas", não só com ele mas também com algumas relações...

Mas não é este o tema de hoje, vamos voltar às cartas escritas à mão =)

Já tinha falado neste blog que queria escrever e trocar correspondência com os meus amigos de Portugal, disse que quem quisesse que me mandasse a morada que eu escreveria, já escrevi algumas e recebi há poucos dias a primeira carta e que bem que soube chegar da comunidade e ver a carta em cima da minha mesa. Claro que foi lida em 3 tempos =) 

Foi bom saber dela, saber que gostou das férias, conheceu a minha mãe, mais uma da minha outra família que conheceu a Tia Bé, gosto mesmo disso, tenho pena que a minha mãe não conheça todos os membros dessa família que tanto falo mas aos poucos e poucos vai conhecendo, conheceu há 1 tempos atrás 3 pessoas especiais, agora conheceu mais 3, a S., o T. e o B.!

Mana S. sei que vais passando por aqui de vez em quando aqui fica o meu agradecimento pela carta, por teres estado com a minha mãe e por estares sempre sempre cá, se há pessoas que merecem tudo tu és 1 delas pois tens a capacidade de saber distanciar as coisas e consegues estar presente na vida das pessoas que te rodeiam, tens 1 dom e eu orgulho-me de te ter como amiga, já fizemos parte da mesma família mas sabes que apesar de já não sermos oficialmente eu considero-te como tal, és daquelas que sei que poderei contar sempre e tu sabes que o contrário é o mesmo, se não sabes ficas a saber!

Tenho outra carta que anda perdida entre Portugal e o Sri Lanka, todos os dias vou à caixa de correios ver se tenho a tal carta mas parece que anda perdida por aí... Ela já perdeu a fé na carta mas eu ainda tenho fé que chegue antes de eu partir!

Nas sms que temos trocado estamos a construir uma história de amor com a carta, anda perdida num barco ou na prateleira dos correios a ganhar pó =) 

Ainda por cima o envelope era vermelho e tudo e da pessoa que foi de certeza que a carta vai ser muito especial mesmo... Eu espero, não te preocupes!

Foi ela que me lançou este tema que escrevi hoje, é alguém que me acompanha desde a minha entrada na EA, se cheguei aonde cheguei deveu-se também a ela, sei que tive uma cunha especial para ter sido escolhido, às vezes ainda pergunto o porquê de me terem escolhido com tantas outras opções... 

Só convivemos 1 ano na EA mas a nossa relação nunca se perdeu, acho por ela estar fora até foi bom para a nossa relação, sempre que precisei de falar sobre mim, sobre a equipa ela foi das primeiras pessoas a quem recorria, os meus amigos quando sabiam que ia ter com ela já diziam: lá vai ele para a consulta de psicologia =) 

A verdade é que é mesmo, falamos falamos falamos, rimos, trocamos pontos de vista, partilhas, eu já lhe disse que ainda vamos acabar casados mas ela não acredita nisso =)

Um dia vou escrever um post só sobre ela: R. obrigado mesmo por estares na minha vida!

E por aqui fico, vou voltar ao trabalho!

ps - Procura-se inspiração para escrever 1 grande carta de "despedida", não é para aqui mas para 1 mana que dentro de dias vai para Espanha para uma nova etapa da vida dela. 

Já comecei a escrever, já apaguei, voltei a recomeçar, tenho tanto para dizer mas as palavras fogem-me, preferia dizer-lhe cara a cara mas não tenho oportunidade, vai ter que ser mesmo por carta... 

Mas eu vou ter contigo logo que seja possível e o que escrever vou-te dizer, já te disse o ano passado em Madrid, já te disse em Portugal no meu regresso de Macau, já te disse várias vezes pelos mails trocados e volto-te a dizer agora: vamos estar sempre sempre juntos! 

Ela quando se despede de mim pergunta-me sempre uma coisa : "Vamos voltar-nos a ver? Promete-me que sim" e eu sempre lhe disse "Vamos, podemos estar anos sem nos vermos mas vamos voltar a estar juntos, esta ligação não se perde com o tempo, o que se viveu só nós sabemos, a ligação que temos só nós temos por isso Ele não nos vai separar e vamos estar sempre juntos em oração e pensamento"

Hoje estou muito sentimentalista, não sei o que se passa comigo!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Por estes dias...

Estou com algum trabalho, tipico tuga que deixa tudo para o fim, falta menos de 1 mês para a minha partida e tenho o caderno das aulas para finalizar, vou dar 1 exemplar a cada turma, decidi meter-me num projecto novo que é fazer um dicionário como prenda aos alunos que acabaram o programa, é um dicionário diferente pois engloba as 3 línguas: inglês, português e o criolo falado aqui, tem dado muito gozo fazer isto pois tenho tido a oportunidade de me sentar com alguns Papas e Mamas que falam bem o criolo e tenho aprendido muito.

Este trabalho será depois aproveitado por um linguista alemão que vem cá para o ano fazer um big dicionário, já lhe poupo algumas horas.  Ele sim, é um cromo da língua e do criolo, eu sou apenas um curioso.

Quem diria que um dia iria estar neste ramo? Eu que sou das ciências sociais e humanas... Mas também tenho tido a oportunidade para ver as coisas com outros olhos, tenho tido um olhar mais atento para a sociedade, para a forma como se situam as populações, se um dia voltar à geografia já tenho alguma coisa para contar...

Mas como não é a minha prioridade, voltar para a geografia pois gosto muito daquilo mas a faculdade, os centros de investigação acabam por ser um mundo que não gosto tanto pois é tudo com cunhas e eu sou um pouco contra essas coisas, acho que as pessoas merecem por aquilo que fazem e não porque deram graxa a fulano x ou y, depois que entram ficam com o rei na barriga! 

Mas há excepções, tenho alguns colegas que estão actualmente no centro de investigação e são grandes craques na geografia e espero que um dia tenham sucesso  e que fiquem à frente de algumas cadeiras, acho que dariam excelentes professores!

O tempo por cá também não tem ajudado, tem chovido e isso faz com que os alunos não vêm as aulas, estou um pouco assustado porque ainda tenho 7 aulas para dar, 1 teste e um exame final que já está marcado para dia 25... estou mesmo a ver que vou ter que dar aulas duplas, não é bom porque é muita matéria de uma vez mas como o tempo é pouco tem que ser mesmo assim!

E já comecei a ver o mercado de trabalho em Portugal, reactivei alguns dos sites de pesquisas de trabalho que tinha no passado, já actualizei o CV e a verdade é que o cenário não está lá muito famoso mas foi como disse ontem ao meu "irmão": desde que haja vontade de trabalhar de certeza que surgirá alguma coisa, a única coisa que não vou querer mesmo é estar atrás de 1 telefone a vender cenas, prefiro ir para o Continente andar de patins e pôr caixas, ao menos faço desporto =)!"

Também troquei alguns mails com alguns amigos que estiveram em missão, foi bom ver que os projectos da EA em Portugal correram bem e que os "novos" gostaram da experiência. Como costumo dizer, a missão não tem que ser necessariamente ir para fora, há tanto para se fazer no nosso país e podemos fazer a missão começando pela nossa casa, pela nossa comunidade!

Tenho acompanhado a blogosfera, as férias já acabaram e agora é tempo de relatos, tenho gostado de ler alguns relatos, tenho ficado com o bichinho de pegar na mochila e conhecer um pouco do continente europeu que conheço tão pouco...

Vamos ver o que me reserva o futuro, acho que mês de Outubro será mesmo sopas e descanso, aproveitar a companhia dos amigos, copos com 1, tomar café ou chã com 1 scones com outros, tenho que entregar relatório final mas acho que vou fazer na viagem de regresso, afinal de contas tenho algumas horas no avião e raramente consigo dormir por isso aproveito! E depois ainda tenho que ver de casas/quartos e trabalho... mas 1 coisa de cada vez!

Pareço assustado? um pouquinho =)

Abraços e beijos a todos!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

A amizade vista pelos 3 porquinhos!

“Quando lemos o conto dos “Três porquinhos” facilmente percebemos a metáfora das três casas que os três porquinhos construíram se aplica a muitos aspectos do que se passa nas nossas vidas.

Se olharmos para as relações que construímos na idade adulta entendemos que muitos se assemelham as casas de Prático, Heitor e Cícero. Não se trata só de relações emocionais, mas também de amizade.

Cada relação que construímos na vida é como uma casa. As de palha são sempre as mais rápidas de construir, que achamos que nos albergam e confortam… mas ao menor sopro e ao menor problema caem por terra.


Destas casas todos nós construímos muitas ao longo da vida, deslumbrados pelo imediatismo com que conquistamos novos amores ou novos amigos.

Das casas de madeira ainda hoje mantemos algumas, mais estáveis, mas igualmente frágeis. Normalmente relações de boa aparência, tipo chalet das montanhas. Mas que sabemos que nem nos realizam nem têm um futuro promissor!

A grande dificuldade é sermos o porquinho prático. Aquele que sempre soube que construir 1 casa de tijolo dava mais trabalho e precisava de muito mais esforço, tempo e dedicação. Para construirmos uma relação temos de ter força e determinação para essa empreitada. Temos de entender que construir algo que resista é o maior desafio das nossas vidas e exige ser construído dia a dia, tijolo a tijolo, lage a lage, prego a prego. É percebermos que o trabalho de construção é desafiador mas mais tarde compensador. Uma relação, bem pensada, bem estruturada e bem desenvolvida é sempre um porto de abrigo, um tecto seguro e um lar confortável… e como fez Prático não nos dá abrigo a nós, mas a todos os que nós amamos! “

Cláudia Lopes in Histórias sem aquele era uma vez

E hoje fico com esta pequena partilha!

E vocês como vêem as vossas amizades?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A ausência por estes dias

Não fugi nem fui raptado nem fui alvo do “grease man”, afinal de contas ele só ataca mulheres, a razão da ausência foi mesmo porque fui para a outra cidade, Trincomalee,  finalizar as aulas, a brincar já passaram 5 meses desde que cá estou…

O tempo tem passado a voar, ainda me lembro do dia que cheguei e agora estou quase de partida, ainda não vai ser desta que irei fazer o balanço destes meses mas sinto que algo mudou, não só fruto desta vivência mas também as várias coisas que foram acontecendo na minha vida pessoal, coisas do meu passado, presente e futuro…

Acabei o programa de língua portuguesa em Trincomalee, chego ao fim e olho para trás e vejo que se eles quiserem poderão manter o português nestes lados, consegui passar, ou espero ter conseguido, as bases de iniciação da língua e a ponte para o português-burgher.

Dei por mim muitas vezes a pensar na complexidade da nossa língua, é coisas que aprendemos e que nunca questionamos como por exemplo o masculino e o feminino nas coisas, eles aqui não usam isso, o porquê de se pronunciar de uma maneira e se escrever de outra maneira, tantas coisas, eu mesmo consegui, acho eu, emendar alguns erros que ia dando no português, quem me conhece sabe que tenho dificuldade em distinguir o isso e o isto mas penso que já consegui =)

Ainda não fiz as despedidas deles pois regresso dia 20, tenho que preparar as músicas e as danças para a festa final, nas músicas ainda consigo alguma coisa, não sou grande cantor mas como conheço as músicas, conheço as letras consigo ajudar, estão a ficar engraçadas, partilharei depois com vocês. Em relação às danças aí tem sido mais complicado, desde o primeiro dia disse que não sabia dançar, que apesar de gostar de dar 1 pezinho de dança eu não tenho lá muito jeito e que o melhor professor seria mesmo os vídeos que trouxe, é meter Play, parar, Play, parar e ir aprendendo… eles têm o ritmo no sangue, tenho alguns miúdos verdadeiros reis da dança, mexem-se bem, deve ser da mistura =) Como não quis influenciar com as danças deixei eles escolherem que dança queriam aprender, fiquei feliz porque 1 turma optou pela dança lá da terra, deixar a marca açoreana no Sri Lanka!

O exame final será dia 24 em Trinco e dia 25 em Batticaloa, só irei fazer exame para os alunos que tiveram mais de 70% nos 3 testes que fizeram, optei assim porque o último teste é um pouco maior e tem parte oral, se fizessem todos 1 dia não chegava e como a fundação para qual trabalho quer os resultados com antecedência fizemos assim.

Em jeito de partilha, eles estão a tentar influenciar na escolha dos alunos mas comigo não vão ter muita sorte, não sou a favor de cunhas, vai quem merece e quem mostrou mais interesse e melhores qualidades ao longo dos meses todos, não vai ser fácil porque tenho que escolher 4 e tenho neste momento 10 alunos acima dos 80%, com diferenças mínimas entre eles… Sei que alguns não ficarão contentes com a minha decisão, nem eu mesmo sei como irei ficar, já na EA tinha que escolher algumas pessoas para ir em missão, aqui é quase parecido, diferença é que tenho 40-50 para 4 lugares…

Não sei se já tinha partilhado mas este programa tem um prémio, os quatro melhores alunos irão a Portugal durante 7-10 dias, é um forte incentivo para os alunos ficarem interessados nisso mas a verdade é que o projecto ficou um pouco aquém das expectativas, esperava mais alunos apesar de tudo…

Ainda não sei como será o meu futuro em Portugal, para onde vou trabalhar, se ficarei por Lisboa, se volto aos Açores, se parto para outro país, ao contrário do passado, estou a tentar viver um dia de cada vez mas lá de vez em quando penso no futuro, é mais forte que eu =) Uma coisa sei, quero estar com estes alunos quando eles visitarem Portugal, até já comecei a pensar por alto sítios que eles devem visitar mas estou pendente de saber quantos dias irão ficar, o ideal seria mesmo 10 dias, assim dava tempo para ir até ao norte do país! Algumas dicas? De sítios a visitar? É que posso ter-me esquecido de alguma coisa…

Já vi que muito se escreveu na blogosfera, vou ler e talvez comente, é ritual ler todos os dias vários blogs que acompanho mas nem sempre comento, algumas vezes porque alguém já escreveu o que achava, outras porque não estou tão dentro do assunto e prefiro não dizer m*r*a, outras simplesmente não tenho nada para dizer.

Há pessoas que escrevem muito bem, já elogiei vários nas suas caixas de comentários, fazem-me  rir, dar numa de nostálgico e acima de tudo pensar… e é bom ver que há opiniões muito diversas e que no mesmo espaço consigam “falar” sem problemas, às vezes é claro, há coisas que leio que não concordo mesmo mas como tenho vindo a dizer são opiniões e todas as opiniões são válidas desde que haja respeito pelas opiniões dos outros.

Acabo hoje por aqui e respondendo a alguém que me escreveu nestes dias a perguntar como estava, que sentia-me mais vago na escrita, a falar mais nos outros do que em mim: eu estou bem,  a fazer o que o Siddharta e o Kung Fu Panda ensinam =) 

E também vou contar depois alguns momentos vividos nestes dias que tive por lá, foi uma semana diferente, bem positiva!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Para 2 amigos Virgens

Não, não estou a falar de amigos virgens, que ainda não tiveram a sua primeira experiência "amorosa", estou mesmo a falar de 2 amigos do signo virgem, esse signo que sempre que é dito leva a pessoas para 2ª interpretações, é ou não é? ou eu é que levo sempre para este lado? 

Ontem e hoje fazem anos pessoas muito especiais para mim, conhecia-os em tempos diferentes mas ambos muito importantes no meu dia a dia.

Ontem foi a A. que fez anos, a A. faz parte daquela família que já falei, a EA, ontem liguei-lhe e estava num dos sítios mais bonitos que já estive, praia de Murrebué - Pemba. Falamos até o dinheiro acabar nem sei se cheguei a dar-lhe os parabéns mas depois mandei sms e ficou resolvido =) Fiquei feliz por saber que tudo está a correr bem, as chapas, os grupos, as visitas, ter essa oportunidade de visitar os grupos não é para todos e quem tem essa oportunidade é um sortudo porque conhece 1 pouco mais daquele país que encanto quem lá passa.

A A. entrou na minha vida em 2007-2008, era uma pessoa que não era fácil de chegar pelo seu feitio muito especial mas por alguma razão (tive também esse papel é claro) fomos fazer missão juntos, Mecanhelas - Niassa. Foi a sua 1ª experiência juntamente com mais 2 manos, o C. e a B., os 3 são de 1 curso que comecei a olhar com outros olhos, não só por eles mas porque na minha primeira missão fui com a mana A.L. que também era desse curso, o curso é Psicomotricidade Humana, conhecem? Se não conhecem é um curso a conhecer e não estou a gozar!

Foi um projecto sem dúvida marcante a vários níveis, não só pelos manos mas também pelo local, pela equipa missionária, por todas as partilhas, por tudo o que se viveu, criei relações com eles que sei que ficarão para sempre, com o C. e a B.  até chegámos a partilhar casa tal era a nossa ligação, a A. não veio porque vive com a familia numa das melhores zonas da cidade, o Saldanha.

A relação foi aumentando, tivemos as nossas zangas como qualquer amigo tem, muitas partilhas, muitas conversas, algum choro (devo ser dos poucos que a vi chorar), houve 1 altura que pensei que a nossa relação iria terminar, foi num passado recente mas felizmente fomos adultos e conseguimos ultrapassar isso e hoje estamos melhor que nunca, temos sido grande apoio um para o outro.

Vi nelas grandes capacidades, talvez ela própria não saiba disso e até mesmo outros pois questionaram a minha decisão mas na hora de escolher o substituto para o meu lugar ela acabou por ser a escolhida, as razões? Só eu saberei mas não me arrependo da decisão pois quando a tomei sabia o que podia contar e foi o que aconteceu, continua lá por mais 1 tempos e sabe que poderá sempre contar comigo para a ajudar sempre que precisar, não só a ela mas àquela família que tanto amo e que tanto devo.

Parabéns mana e em Outubro estaremos juntos para abrir uma garrafa de moscatel como tanto gostas!

Hoje é o C. que faz anos, ele não me quis dizer quando era mas eu tenho bons contactos e soube que era hoje, já viste mano, quando queremos sabemos de tudo =)

Ainda não falei dos meus tempos de faculdade, dos meus tempos da residência, foram anos que me marcaram, foram anos de festas, de borgas, de conversas sérias, de abraços, de partilhas, de fumos, de sonhos e este camarada esteve presente em quase tudo. Lembro-me da primeira vez que falei com ele, talvez ele não se lembra, foi no bar novo da nossa faculdade, de novo não tinha nada mas lá estava ele mais 1 colegas a jogarem às cartas, aquele primeiro ano nós tomávamos conta daquele bar tal eram as horas que passávamos lá =)

O C. foi meu colega em algumas cadeiras e depois fomos para a mesma residência, ele começou num quarto, eu noutro mas passado 1 meses juntamos os 2 mais um "amigo" (que nome chamamos àquilo C?) e ficamos no quarto triplo, aquele quarto se falasse... Nós tinhamos turnos para dormir, quando 1 acordava, outro ia dormir e foi assim durante 1 tempos. 

No ano a seguir concorremos a um quarto duplo e foi sem dúvida dos melhores tempos que passei naquela casa, agora que olho para trás vejo isso, tenho pena de não ter aproveitado melhor os tempos mas o que foi vivido foi do melhor e sem dúvida que ficarão para sempre gravados na minha memória: Fazíamos as nossas massas, não sei se aquilo era massa ou outra coisa qualquer, metíamos tudo que tínhamos no armário e era comer até ao fim, as corridas no estádio universitários, as idas para buscar cerveja, as conversas até tarde (se alguém sabe do que "sofri" de amor naquela casa foi ele), alguns sermões merecidos, noites de bairro, tanta coisa... 

Chegou 1 dia e ele partiu, tive pena mas por outro lado fiquei contente porque ele não estava ali bem e merecia ser feliz e merecia voar... Voou para outras paragens mas  a nossa ligação manteve-se, podemos não falar todos os dias mas quando falamos parece que estivemos juntos ontem...

A última vez que tivemos juntos foi no meu jantar de despedida, não para o Sri Lanka mas para Macau, não tivemos muito na conversa mas aquele abraço quando chegaste, soube mesmo bem!

Sei que tenho ali um amigo para a vida, que podemos estar cada 1 no seu país mas aquilo que nos liga, aquilo que vivemos ninguém nos tira, obrigado por seres quem és, por teres essa maneira de ver e de escrever, obrigado por seres aquele irmão mais velho, que me deu a mão quando precisei, que me deu na cabeça quando precisei... se não sabes a importância que tens na minha vida, fica aqui relatada!

Que venha Outubro para voltarmos a estar juntos, desta vez com calma, sem muita gente e termos tempo para falarmos, bebermos 1 canecos e "lavarmos" as vistas!

Gosto muito dos 2 e parabéns pelos vossos aniversários!

ps - e muito mais poderia escrever de cada 1 deles mas não escrevo pois eles não gostam!

ps2- não meto nomes porque eles gostam de ficar "anónimos" =)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Partilha de ontem

E ontem foi isto que foi partilhado, obrigado Juliana!

" Cada pessoa é um ser único, com uma história de vida própria, somente por ela experienciada. Assim, não podemos julgar nem forçar as pessoas a pensar como nós e devemos aceitar que cada uma pensa, age, ama e vive de forma diferente.

Devemos também, não nos culpar por não sermos como o outro quer que sejamos e devemos reconhecer que podemos errar, que somos seres limitados e que não vamos atender sempre às expectativas dos outros.

No entanto, antes de compreendermos e aceitarmos a diferença do outro, devemos compreender e aceitar a nossa própria diferença. "

(autor que não sei se foi a própria Ju ou alguém que ela leu)

Fiquei a pensar nisso... gostava que fosse assim mas infelizmente a sociedade, o ser humano não vê as coisas com esses olhos, quantos de nós já se sentiram deslocados? quantos de nós já tentamos fazer com quem tenham  a mesma ideia que nós? tantas questões que podiam ser levantadas...

O que devemos fazer afinal?

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Ontem foi o dia mundial de ajuda humanitária

Muito se vê, muito se escreve sobre as Associações, as ONG, as Fundações que trabalham em prol dos outros, uns criticam, outros aceitam, outros simplesmente são lhes indiferentes.

Sei que nem todos concordam com este tipo de trabalho, que dizem que os presidentes só querem encher os bolsos, que o trabalho é mal feito, que não devemos ir para esse local, que assim e assado...

Eu sou a favor deste tipo de trabalho, não só porque trabalho nesta área mas porque sei que conseguimos fazer a diferença, pode ser só 1 "só uma gota no meio do oceano" mas mais vale 1 gota do que nada.

Claro que há Ong melhores que outras, eu próprio critico algumas pois não concordo com o trabalho desenvolvido, ou melhor, a forma como desenvolvem...

O dar dar não leva a lado nenhum, não estás a ajudar em nada pois quando acabar o que fica? Só alimentamos os vícios que existem, eles ficarão sempre à espera que dêem as coisas em vez de trabalharem para e por elas. 

Eu sou mais do tipo: queres? então vais ter que conquistar/merecer, queres aprender? então estou aqui para ensinar mas não fazer por ti, sei que nem todos nesta área concordam comigo, já tive as minhas discussões por pensar assim mas o dar dar não resulta pela minha experiência e aí é que está o grande mal de algumas organizações, vão para o terreno e durante o tempo que estão lá são os maiores, dão tudo e depois? Vão se embora e como fica a população?

O trabalho de ajuda humanitária deve ser feito com principio, meio e fim, devemos estar lá durante x tempo, ajudar a que os próprios criem mecanismos de sustentabilidade e quando acharmos que já estão prontos a ficarem sozinhos então é tempo de deixar o local mas sempre com 1 olho lá caso alguma coisa falhe... Claro que isso é difícil pois requer custos, 1 missão por tanto tempo gastasse muito dinheiro mas não vale mais gastar numa coisa que sabemos que vai ficar bem do que estar em vários locais e fazer menos bem?

Eu sou a favor de fazer pouco mas bem do que muito mas menos bem...

Vejo por aí associações que o que conta é o nº de voluntários que mandam por ano para missões, fico feliz por eles por terem conseguido enviar todos os voluntários que fizeram a formação mas será que todos estão bem preparados? Não esquecer que quando partimos em missão não vamos só pelo nosso nome, vamos primeiro pelo nome da associação/ong que representamos, temos 1 nome a manter e às vezes 1 mau voluntário consegue "destruir" a má imagem que os locais têm de 1 associação.

Não é fácil dizer quem está preparado e quem não está, eu tive esse papel durante 3 anos e não foi fácil deixar algumas pessoas de fora, se me arrependo? Não, se achamos que aquela ou aquele não estava preparado para ir, não é agora que iria-me arrepender... E quem tem vontade, quem mostra mesmo espírito de missão lutará sempre pelos seus sonhos, eu costumo dizer, quem tem vontade para partir e ajudar tem a principal coisa que é a vontade, o resto, o tempo ajudará mas no ajudar também é preciso dedicação, é preciso lutar, é preciso mostrar...

Há algumas Ong que têm formação muito curta, uma semana por aí, eu acho que é muito pouco para quem vai fazer missão seja de curta ou longa duração, o estar em missão não é estar em casa, aqui não temos os nossos "caprichos" nem podemos ter, aqui não comemos o que nos bem entender, aqui não temos a vida que temos nos nossos países, aqui não temos os luxos... claro que existem voluntários que fazem isso, mantêm o nível e o estilo de vida que têm nos seus países, eles com tanto e as pessoas que vão ajudar com tão pouco... será bom fazerem isso? Não estou com isso a dizer que temos que viver como eles, não, estou só a dizer que as pessoas têm de saber estar no local, apenas isso.

A sociedade civil critica muitas vezes os presidentes que recebem ordenados, que não sabem para onde vai o dinheiro, que há padrinhos e tachos para todos, se têm razão? Alguns têm mas antes de se criticar temos que conhecer um pouco mais, e contra mim falo, eu também gosto de criticar, e também fui criticado mas aprendi que antes de criticar tenho que conhecer, só depois dar a minha opinião e tive, e tenho, que aceitar as opiniões dos outros em relação ao meu trabalho, são opiniões e todas, de uma maneira ou outra são válidas...

Eu fui responsável de 1 ong e a forma como nós fazemos a direcção não é aceite por todos mas é a melhor maneira para os valores da equipa não se perderem e normalmente chamamos para a direcção as pessoas da nossa confiança, só assim é que se consegue fazer 1 bom trabalho, não é que com os outros não consigas mas se algo der para o torto é mais fácil mandares 1 amigo para o outro lado do que um "desconhecido", há uma relação por trás... mas isso também tem coisas más, há amizades que se perdem pois não conseguem distanciar trabalho e amizade...

Se isso também não é uma questão de cunha? Não vejo as coisas assim, vejo sim que é para o bem da associação, apenas e só isso!

E podia falar, defender, criticar a organização para qual trabalho agora, nos últimos tempos foram alvos de enormes criticas mas eu não deixei de acreditar pois sei o valor e o trabalho que desenvolvem e se as pessoas soubessem talvez não falariam tanto...

Tal como disse, esta é apenas 1 visão de um voluntário que conhece os 2 lados da ajuda humanitária, o de responsável e o de voluntário, todos têm a sua opinião, umas diferentes das outras, nas minhas direcções tive pessoas que tinham maneiras diferentes de ver as coisas e ainda bem, assim aprendi e também ensinei algumas coisas, o importante é sermos sinceros e humildes no trabalho que desenvolvemos e ter sempre a consciência que fizemos o melhor!

O post já está grande, podia estar aqui a divagar muito mais mas fico por aqui =)

bom fim de semana

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O verão em “casa”



Hoje bateu-me a saudade do verão em casa…

Os culpados?
Na blogosfera todos falam de férias; vi fotografias no facebook da familia reunida a curtir o verão e porque tenho 3 amigos que estão lá a passar férias e que foram conhecer a minha mãe, fiquei feliz por ela conhecer mais 3 amigos, ela ouve falar deles mas não os conhece pessoalmente e agora teve oportunidade de os conhecer.

A última vez que passei lá férias foi em 2006, já lá vão 5 anos, como o tempo passa e nesse ano decidi fazer 1 tour pelas ilhas, éramos 3 e fomos a 7 das 9 ilhas, aquilo é que foi,  tenda às costas mas sempre que parávamos numa ilha com família lá íamos nós dormir no bem bom, quando não havia era parque de campismo, sempre à boleia, recusávamos pagar para andar de transportes, dizíamos que era um gasto extra, comer até 5 euros, sempre que havia supermercados era mesmo lá mas 1 sopinha fora era pão nosso de cada dia.

Deu para conhecer os Açores de outra maneira, se já amava aquela terra e considerava já como minha, depois da viagem muito mais, deu para conhecer muito e até encontrar amigos de Lisboa por lá, soube bem!

Mas as férias não é só isso… É estar em casa, acordar, comer qualquer coisa e ir até ao calhau, ir até à praia, voltar a casa para comer e de tarde voltar à praia, ficar preto preto coisa que já não me lembro o que é. De noite tentar arranjar boleia para a cidade e ficar por lá seja com os amigos seja com família, muitas vezes quando regressava de férias em tempos da universidade era mais os dias que dormia em casa de amigos do que propriamente na minha, não se passava nada à noite na vila e tínhamos que ir até à cidade…

As última vez que fui lá, antes de vir para o Sri Lanka, soube-me bem, tive com família, com primos que já não estava há muito, saí com tios, saí com amigos, deu para tomar os cafés com pessoas que gosto muito mas que infelizmente não consigo estar… até gostava de ir mais vezes a casa mas o raio da viagem é bem cara, é o que dá ter 1 só companhia para lá…

Da última vez até dei por mim a pensar se não seria capaz de voltar a viver na ilha… às vezes penso nisso, tem os seus prós e contras, já estabeleci que se não arranjar trabalho até Março irei voltar… lá o trabalho também não é fácil, muito menos na área que estudei e na área em que trabalho mas lá não tenho os gastos da casa e da comida, familia ajuda =)

E hoje estou assim para o saudosismo, também dá nisso!

Boas férias para quem vai, bom regresso para quem volta!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Notícias de cá



Normalmente não se ouve falar do Sri Lanka em Portugal, das últimas vezes que falaram deve ter sido quando houve o tsunami que foi em 2004 ou 1 ou outro ataque bombista dos Tigre Tamil durante a guerra civil, alguém já ouviu falar mais do Sri Lanka?

Por cá tem acontecido algumas coisas “estranhas” e que deveriam ser noticia, se fosse em Portugal de certeza que estaria nos jornais e nas tv mas por cá o caso tem sido abafado, apenas 1 ou outro meio de comunicação social têm falado e hoje dei por mim a tentar ver se encontrava alguma coisa pelos jornais estrangeiros e o pouco que vi foram 1 notícias brasileiras que falam em “diabos ensaboados”.

Afinal de contas, o que está a acontecer? Tem havido ataques desde a semana passada um pouco por toda a ilha em particular destaque na parte leste da ilha, onde eu moro, a mulheres. 

E o que consiste estes ataques? Pelo que tenho ouvido são 2 tipos de ataque com 2 propositos, o primeiro é feito pelos “diabos ensaboados”, homens que atacam mulheres durante a noite e que só têm o objectivo de morder-lhes no pescoço ou nos seios (penso que o uso das palavras mamas é a melhor mas para não ferir susceptibilidades uso seios) e para não serem apanhados besuntam-se com uma cena qualquer difícil para os outros os agarrarem. O segundo e mais grave, para mim, é que o governo está por trás disto, são homens ligados ao governo que estão a fazer género de inquérito pelas ruas, há zonas da ilha que estão bloqueadas por militares e que só querem falar com mulheres, todas as mulheres viúvas e solteiras eles ficam com a identificação, o nome e morada e parece que de noite vão a casa delas… 

Isto porquê? Ao que parece o senhor presidente aqui do sítio está com cancro e consultou 1 daqueles feiticeiros e ele disse que para se salvar tinha que recolher sangue de 3000 mulheres e se for das mamas,desculpem, dos seios melhor…

Se esta segunda versão é verdadeira? Qual das versões é verdadeira? Nos jornais não falam disso mas é o que se fala nas ruas e se alguém fala é porque tem algo de verdade, já o outro dizia “não há fumo sem fogo”.

Têm sido detidos homens que são apanhados a fazerem isso e os confrontos também tem acontecido com a policia e com o exercito, esta zona sempre teve problemas com as forças policiais, era um dos principais focos da guerra civil e parece que as coisas ainda não estão totalmente resolvidas, qualquer oportunidade para darem  1 pontapés aos policias/exercito é aproveitado. As forças policiais têm detido esses homens mas a população quer fazer a justiça com as próprias mãos…

Vamos ver no que isto vai dar, a mim chateia-me um bocado porque estou sem dar aulas na comunidade, apenas aqui na cidade mas não posso fazer nada, numa viagem que demora hora e meia agora está a ser feita em 4-5 horas pois é preciso parar em todos os pontos militares para ser inspeccionado o carro e as minhas alunas têm medo de sair à rua, com medo que haja algum ataque… que posso fazer? Nada.

E são estas as noticias por cá, dava ou não capa de “Correio da Manhã” e tema nas “ Tardes da Júlia” ou o programa do Goucha?

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O que é dar-se?



Este foi o texto que o mano Carlos escreveu há dias no caderno EA.

Mano Carlos faz parte dos grupo Sidharta que vos falei há pouco tempo, os tais 5+1 que foram fazer o caminho português até Santiago, no outro dia foi a mana Sofia quem escreveu a oração.

Este texto foi retirado de um livro que partilhei com o Carlos quando tivemos em missão em 2008 em Mecanhelas, depois disso ele levou-o até Quissico onde fez missão por 1 ano.

O livro é “O Príncipe e a Lavadeira”, escrito por um padre jesuíta Pe. Nuno Tovar de Lemos e tal como o Carlos costuma dizer é um livro que chega a todos, não é preciso ser católico, o Carlos não é, para se perceber o que ele quer dizer, é verdade que fala no amor de Deus mas esse mesmo amor pode ser visto também o amor que temos e damos ao próximo, as ligações que se criam e que vão ficando, tanta e tanta coisa…

“(…) Essa é a primeira grande tentação dos homens, a tentação do "dar-se-sem-se-dar", brincar ao amor sem se comprometer. Tocar sem se deixar afectar, sem perder as suas seguranças. Os homens querem deixar sempre livre o caminho de regresso. Então dão-se, mas não se dão. Querem ter a sensação de que amam, mas sem correr nenhum risco pessoal. E então dizem uns aos outros: "Amo-te muito mas não estou preparado para assumir nenhum compromisso, já tenho muitas questões na minha vida." Ou então: "Ajudo-te a resolver os teus problemas desde que não me envolvas pessoalmente na tua situação!" Ou ainda: "Deixa-me cativar-te. Mas amanhã não me venhas bater à porta." Não entendem nada. Amar é deixar que a carga do outro passe para nós. Uma espécie de transferência, entendes? Por isso é que antes de cada acto de amor devemos pensar se estamos preparados para ele. Quando amamos tornamo-nos frágeis. Então achamos mais fácil guardar sempre uma certa distância cada vez que amamos, de modo a nunca corrermos o risco de ser afectados.”
“O Príncipe a Lavadeira”, Pe. Nuno Tovar de Lemos

De certeza que ao longo das nossas vidas tivemos estes momentos e o que fizemos? Em vez de fugirmos porque não abraçamos o outro? Podemos e devemos ajudar o próximo nos problemas, nas alegrias, porque hoje pode ser 1 amigo a precisar e amanhã podes ser tu e de certeza que gostarás de ter alguém em quem apoiar…

Ps – um dia irei escrever um pouco mais sobre algumas pessoas que são referências e apoios para mim, tenho pensado nelas e tenho a sorte de estar rodeado de pessoas boas e que me aceitam tal como sou, com todos os defeitos e qualidades.