segunda-feira, 25 de abril de 2011

Dia 25 de Abril - Dia da Liberdade

Todos os dias vou dedicar a 1 nome, algo que aconteceu, hoje será o dia da Liberdade.

Hoje é o 25 de Abril, feriado em Portugal, mas quantos é que sabem o que se passou?

Ao ler os jornais portugueses, a ver as redes sociais vejo que há muita falta de informação e a culpa é de quem? Será que não passa também pelas pessoas quererem saber mais?

Aqui fica um video que roubei a alguém numa rede social:


1 das notícias que me chamou mais a atenção foi que nos nossos manuais de História não se fala da Guerra em África, a descolonização destes países e fez-me voltar ao tempo de escola e não me lembro muito bem mas no meu tempo ouvia-se falar do 25 de Abril, o Estado Novo, que Portugal tinha colónias em África e depois deu-se a guerra, depois disso não se falava mais. Acho que era importante para os alunos de agora, sendo Portugal um país de muitos retornados e de imigrantes dessas antigas colónias, saberem um pouco mais da história das suas origens.

Claro que podem aparecer vozes contestatárias: Se fizemos isso para uns temos que fazer isso para todos. E aí estávamos também a explicar a URSS, os novos países, etc etc.

Acho que é diferente pois quando falamos de África e destes países falamos também da nossa história.

Se eu não tivesse ido a Moçambique nunca tinha sabido tanto da história do país, se nunca tivesse vindo para o Sri Lanka nunca sabia que cá também falavam um criolo de base portuguesa... Tanta coisa que só sabemos quando há 2ª intenções... Isto leva a que pense: se queres saber, procura! Mas em algumas matérias não deveria ser passado pelos professores? Depois é ver os alunos "fartos" da disciplina de História... depende muito!

Com isto chega a conclusão que é bom partilhar os nossos conhecimentos com os outros, ensinamos e aprendemos uns com os outros, não era tudo mais fácil? Mas não, a sociedade civil é "invejosa" e pensa: se partilhar o que sei, vou perder o meu trabalho... Com este pensamento é que não vamos a lado nenhum...

Eu sei, sou um sonhador!
Mas deixem-me ser, acreditar ainda que podemos mudar, que o mundo pode ser melhor, alguém disse: "somos apenas 1 gotas de um oceano" e mesmo assim, não quero desistir, não quero parar de sonhar.

Nosso país está numa situação que todos conhecem, ouvem-se vozes, todos a culpar os outros, ninguém a assumir as culpas, há manifestações, greves e algumas pessoas que vão não sabem qual a razão, vão porque o outro vai e é fixe. Temos que pensar um pouco e ver o que podemos fazer, podemos marcar a diferença...ou não mas desistir é que não, temos oportunidade de dar 1 pouco mais de nós e ajudar...

Portugal é um país saudosista, vive-se muito do que se fez e vivemos numa era que falasse mal de tudo e de todos, há jovens a sair do país porque não acreditam que Portugal já não tem salvação... e eu? Não sou 1 deles? Que é que já fiz para mudar? Não estou no estrangeiro? Não sou eu que tenho uma opinião um pouco "controversa" sobre os votos? É verdade, contra mim falo, estou longe do país e pouco ou nada fiz mas quero acreditar que um dia irei fazer... quando e o quê? Ainda não sei... mas tenho essa vontade, de também fazer algo por Portugal, nem que seja dentro de casa, mas fazer algo.

Hoje é o dia da Liberdade, hoje podemos dizer o que nos vai na alma, todos podem.

Este post é diferente dos outros, hoje acordei assim, peço desculpa se fui contra alguns ideais...

E aqui fica uma lista de "musicas que agitaram Portugal", não concordo com algumas delas mas foi feita por 1 revista de música portuguesa:

3 comentários:

Martini Bianco disse...

Falaste sobre a Burgher fundation e eu já tinha lido sobre isso, e nos "portuguese burghers". Descobri na página em ingles do wikipédia, sobre os exploradores e comerciantes que encontravam no Ceilão porto de abrigo e base de comércio, que os casamentos com as locais eram fomentados por ambas as partrs, logo demonstrando que a génese do português nunca foi xenófoba e que ainda hoje existem muitas pessoas lá com algum sobrenome português, fruto dessa remota ancestralidade.

No meu trabalho tambem contacto muito com a India, que é um caso semelhante, mas nao sei até que ponto ainda existem palavras derivadas do português na lingua deles hoje. Sei é que por exemplo no Japão ainda usam algumas como o "pan" com "pão" e até o "baton". Incrivel estas coisas da história, adoraria fazer esse circuito um dia.
Abraço

Miguel Jarimba disse...

Na comunidade burgher ainda se fala um criolo de base portuguesa, é um português antigo mas que dá para perceber. Não há nada escrito foi tudo passado oralmente e esse também 1 dos meus trabalhos, ver se não se perde o português por cá, vou tentar deixar escrito as palavras, ensinar o português actual.
Portugal foi muito importante para este país e é pena que o nosso país se tenha esquecido desta ilha, ouvimos falar de Goa, Malaca, Macau, Timor, mas quase nada do Sri Lanka.
As pessoas que têm nome português ficam bem orgulhosos e não é só entre a comunidade burgher, os cingaleses também têm nomes portugueses como o apelido Fernando, Perera (perdeu-se o i), Silva, entre outros.
Mete lá os teus contactos na India a funcionar, passas lá 1 semana e depois vens cá visitar o amigo.
Abraço

Catarina disse...

"- Qual era o regime político antes do 25 de Abril?
- Não sei, não vivi lá!"

Coitadinha, esta também não sabe quem foi o primeiro rei de Portugal... Não viveu lá!