terça-feira, 9 de agosto de 2011

Casamento na comunidade Burgher


Decidi hoje tocar neste assunto porque ontem 1 das minhas alunas pediu-me para não dar hoje aulas na comunidade porque tinha que ir ao registo… Eu não percebi o que ela queria dizer com aquilo mas as outras só diziam “miss, miss”, ainda pensei que ia a um concurso de misses cá da terra mas não, ela amanhã vai ao registo “casar-se”.

Eu nem sabia que a rapariga tinha namorado mas isso é uma coisa muito normal por cá, não dás pelos namorados pois o conceito de namoro é muito diferente, não vês os namorados de mãos dadas, muito menos beijos, alguns são namorados mas mais pelo telemóvel pois se forem apanhados pelos pais não será nada bom…

Mas falando do titulo do post de hoje e usando o caso da minha aluna:

Ela vai-se casar primeiro no registo e depois na Igreja. Eu contei que em Portugal algumas pessoas casam-se no mesmo dia nos 2 lugares e se era normal haver esses dois momentos, pelo que entendi e na conversa com o Papa Tittus antigamente faziam as 2 coisas ao mesmo tempo mas nos tempos de hoje o registo é como se fosse um contrato, sabes que tanto o rapaz e a rapariga já têm “dono” e não há forma de fugirem ao casamento.

A comunidade burgher, tal como já falei em posts anteriores, desejam que os seus filhos se casem com outro burgher, é uma forma de manterem a cultura, os laços familiares mas cada vez há menos jovens e esses seguem o que o coração manda, não estão a escolher se é burgher ou outra coisa qualquer, acontece… os pais é que não gostam muito disso mas isso já é outra história!

Com este casamento, o casal já pode ser visto junto na rua, o rapaz passa a frequentar a casa da esposa e vice-versa. Beijos? Sexo? Coisas dessas? Ainda não é para agora, as mulheres por cá guardam a sua virgindade para o dia especial… Se é correcto ou não? É bonito de se ver mas se aquilo depois não funciona? Acho que a vida sexual por cá não é 1 dos factores mais importantes… o ter relações têm 1 objectivo: procriar, apenas e só!

No dia do casamento pela igreja, aí sim, é um dia em grande tal como em todos os casamentos, os noivos recebem os convidados em casa, dançam a Bailla e a Kaffrinha, (se pesquisarem no youtube têm lá alguns videos apesar de se ter tornado popular entre os cingaleses que adaptaram para os dias de hoje) duas danças típicas dos burghers, são 4 musicas tocadas com violinos, viola, um  pandeiro mas em ponto gigante e uma espécie de pandeireta mas só com os ferrinhos, 1 ou 2 vozes e está feita a festa!

Em todos os casamentos burghers há isso, infelizmente existe apenas 1 banda e 1 dos violinistas tem 75 anos, o guitarrista idem, o que vai acontecer é que daqui a 5-10 anos se os novos não aprenderem vai acabar 1 das coisas mais antigas desta comunidade…  Eu tento sempre dizer aos meus alunos para se “apegarem” a esta cultura que é tão especial mas o interesse é quase nulo…

Só um aparte, no BI de cá é feita a distinção, isto é, se és burgher está lá a dizer Burgher Sri Lankan, se és Tamil Tamil Sri Lankan e assim para todos as “etnias”…

Os burghers são conhecidos pelos casamentos animados, muito à custa do álcool, é vê-los a cantar, a dançar, nos outros casamentos que tenho visto aqui pelo  centro não são tão animados, têm musica mas não há álcool, os hindus e os muçulmanos não gostam desse tipo de coisas…

E para onde eles vão viver depois de estarem casados? Pois é, fiquei surpreso com isso: a mulher tem que dar ao marido casa, um bocado de terra para cultivar ou ter o seu jardim e o marido apenas dá jóias… os maridos vão viver para a casa nova construída com dinheiro da esposa, alguns deles como não têm dinheiro ficam a viver junto dos sogros, nunca perguntei se era fácil ou não…

E é assim um pouco do casamento burgher!

3 comentários:

Utena disse...

Interessante...
As tradições infelizmente estão a perder-se e não é só por aí...

Beijinhos

M.J. disse...

Em relação ao tema casamento irei contar mais detalhes, ontem tive 1 conversa com 2 pessoas mais velhas que me contaram 1 pouco da tradição e dos namoros/casamento por cá, aqui pouco ou nada mudou com os anos, eles estão "parados" nesse campo há alguns anos ou pior/melhor acho que foi sempre assim...

Tradições? Acho que já não existem tradições de casamento em Portugal...

bjs

Di Almeida disse...

Delicioso!Desculpa invadir a tua caixa de comentários mas de facto estes textos deixam-me deliciada!Eu adoro viajar e conhecer outras culturas desde que me conheço, e ler isto é o nirvana!
Quanto à perda de interesse pelos mais novos, por cá também se vê isso, embora o prejuízo na minha opinião seja menor. :)