terça-feira, 2 de agosto de 2011

A Partida


Hoje não vou escrever sobre o dia a dia do Sri Lanka mas sim da outra família que tenho e que se chama Equipa d`África.

Hoje é o dia de partirem em missão, vão 12 voluntários para Moçambique, 4 para o Metoro,  4 para Macomia e 4 para o Guiua. Temos lá mais 2 voluntárias que estão a fazer missão por um ano em Quissico. 

E nos últimos anos começou-se uma nova missão, é bom ajudar os países de fora mas também é bom ajudarmos o nosso pais e que tem tanto para fazer e este ano partem 6 para Vale de Água e 4 para Alcoentre, este um projecto novo já que será de 1 mês, nunca antes tinha sido feito.

Nos meus últimos anos foi em Moçambique que passei o mês de Agosto e Setembro, este ano não piso aquela terra que tanto me diz mas no dia que saí custou bastante mas agora acho que tinha mesmo que ser, era tempo de dar a oportunidade a outros, a liderança da EA precisava outros ares, eu já tinha vivido tanto e achei que todos mereciam viver o que eu tinha vivido, o que tinha visto, o que tinha aprendido, o que tinha ensinado…

Claro está que hoje o coraçãozinho está bem apertado porque não estou em Portugal para dizer um “até já” aos voluntários, dar aquele abraço que irá fazer falta naqueles momentos de mais aperto, que não conseguirei mandar as minhas cartas até às minhas “casas” mas mesmo estando longe eles sabem que “tamos juntos”, seja aqui, seja lá, tamos sempre juntos em pensamento e oração!

Eu comecei a caminhada nesta associação em 2006 e “terminei” em 2010, meto terminei entre aspas pois sinto que ainda faço parte mesmo não estando com eles no dia a dia, é um pouco como se ouve por aí em alguns grupos: “uma vez ea, sempre ea”.

Foram 4 anos… não consigo descrever os 4 anos mas sem dúvida que foram anos que me ajudaram a tornar a pessoa que sou hoje, agradeço sempre aos meus pais e irmãos por me terem dado a educação que tive e à EA por me ter tornado a pessoa que sou hoje, ajudou-me a ver as coisas com outros olhos, ensinou-me muita coisa em pequenos gestos, cada pessoa com quem me cruzei, desde aquele voluntário que só apareceu 1 dia até à voluntária que me acompanhou nos 4 anos de caminhada, todos eles foram especiais.

Ganhei 1 família porque criei relações que sei que serão para a vida, são pessoas que sempre que precisar estarão lá para mim e sabem que o mesmo se passa ao contrário, mesmo longe tenho tentado ajudar no que consigo para estas pessoas e para a EA.

Nós temos o habito de chamar manos a quem fez missão connosco mas eu estendo este leque para outros que mesmo sem fazer missão estiveram no meu caminho e mostraram serem os verdadeiros manos, sempre prontos para dar a mão quando preciso, sempre disponíveis para ouvir e se fosse preciso também darem na cabeça.

Sei que muitos deles passam por este cantinho e a vocês, não preciso de dizer nomes, vocês sabem quem são, obrigado por fazerem parte de mim!

Tenho uma divida muito grande para a EA e tudo que eu puder fazer por ela farei, é o mínimo depois de tudo que dela recebi.

Este bicho da missão nasceu com eles, cresceu com eles e tornou-se a minha vida. Ás vezes penso que é tempo de parar mas a vontade de partir, de ajudar tem falado mais forte…

Não sei o que o futuro me reserva, pela primeira vez não tenho pensado (tanto) nisso, vou aceitar o que Ele tem para mim e eu próprio irei descobrir qual o meu caminho…

De certeza que irei partilhar mais sobre estas minhas experiencias com a EA mas hoje fica apenas o “Boa viagem e boa missão, Tamos Juntos”

E aqui fica um pequeno excerto do caderno de 2011, é um caderno que todos os voluntários têm e que no momento da noite, no momento de oração e partilha, estão todos juntos, como se tivessem conectados 1 com os outros:
“A tua mochila tem de ir leve, para que possas caminhar por ti próprio. Olha bem para o que levas dentro. Muitas vezes levas cargas que não são tuas; outras levas cargas de outros porque te crês imprescindível; outras não sabes bem o que levas nelas. Tira da tua mochila tudo o que não te pertence e não gastes energia em fazer o que os outros devem fazer. Não carregues com coisas do passado já esquecido,nem leves nada para o futuro porque este ainda não chegou. Caminha leve, só com o necessário para o momento, a vida dar-te-á tudo aquilo que possas ir necessitando.”

3 comentários:

Utena disse...

Maravilhoso MJ,

Confesso que fiquei comovida e arrepiada com a leveza e a verdade nas palavras do texto que divides com nós.
Mantêm-se assim vale a pena passar por cá e ler-te.
Abraço

M.J. disse...

Obrigado Utena, quando falamos sobre algo que nos está cá dentro saí coisas destas =)
bjs

Marta disse...

Não conhecia este canto...mas gostei muito do que li, muito interessante ;)